PARA VER OS VIDEOS PARA A MUSICA

Global Debate Guerras das Drogas

Loading...

terça-feira, 27 de novembro de 2012

HISTÓRIA DE UM TOXICODEPENDENTE PELAS RUAS DE LISBOA


VIVIA UMA VIDA SEM VIDA...

Olá eu sou o Miguel ...  





Foram 21 anos de consumos heroína e cocaína mandavam na minha vida...

21 anos perdidos, como uma falha indesculpável, difíceis de justificar, como se não tivesse existido durante este tempo.
Imagina que precisas  escrever um Curriculum da tua vida e hoje com 37 anos ficares a pensar, como é que eu escondo 21 anos da minha vida? Como é que eu escondo 21 anos de mentiras, rua, droga, doenças, crime e solidão?
Um morto vivo, estava mas não estava.

Como em tudo no Universo…. tudo nasce, vive e morre...

Nascer...é o ato de nascer, é um inspirar de vida, sem que o pedisses para o fazer, nasceste. Nasceste puro (a), nu, sem pecado, sem medo, sem preconceitos, sem sentir, apenas selvagem, nasces de um outro ser humano que também nasceu, viveu e naturalmente virá a falecer.
Nasceste num ambiente hostil em meio a guerras, invejas, alegrias, choros, risos e lágrimas, enfim coisas deste mundo.

Viveste...esta é a parte mais complicada, és empurrado, forçado a crescer.

 TODO, e quando escrevo todo em letras maiúsculas é para ser mesmo assim, porque é assim, TODO o adito, aquele que tem adição ou seja que quer mais , droga, álcool, etc… tem uma sensibilidade extrassensorial, o que é isto de extrassensorial perguntam vocês?
Extra = mais ,sensorial = sentir.

Felizmente ou infelizmente temos o Dom de sentir, e sentir mais do que deveríamos.
Imagina o nariz do humano e o nariz do cachorro...
Igual. Sentimos mais que as pessoas vulgares, sentimos desde o tempo que nascemos...
A realidade é que vivemos no mundo e o mundo é feito se sentimentos cruéis e frios, claro que também tem coisas lindas mas os sentimentos que mais nos rodeiam é esta crueldade e maldade que nos choca e retraí.
Desde o ventre das nossas mães que vimos com este dom que alguns o transformam em bênção outros em maldição.

Deveríamos ser orientados desde muito cedo para fazer coisas grandes, e COISAS GRANDES não só com os outros, mas connosco mesmo , porque ao fim ao cabo só podemos fazer essas tais coisas Grandes e Maravilhosas aos outros se estivermos bem connosco mesmos e soubermos lidar com o que sentimos.
O que acontece é que existem milhares de pessoas, jovens ou adultos que como nunca tiveram esse auxilio, esse "Guia" colocam uma capa, uma mascara para não sentir, para abafar os sentimentos e para não sentir. Como uma dor de cabeça que requer umanalgésico a droga é igual...bom, afinal o que são os medicamentos, se não droga?

Uns até escarnam assim….”- Estes drogados acham que são sempre uns incompreendidos”…o facto é que os tais “drogados” não entendem o mundo, e a maldade do mundo é assustadora, não a queremos ver, ou enfrentar e ou fugimos da pior forma ou quando nos juntamos em desespero a esta é uma condenação uma entrega por desistência.

Estes 21 anos de droga fizeram-me hoje fazer uma análise minuciosa da pessoa que sou.

Os anos de rua, de viver em prédios abandonados pelas ruas frias de Lisboa fizeram-me olhar para mim, a solidão fez-me sentir, viver, chorar, gemer, morrer de dor e sofrimento.
As doenças que me internaram meses a fio na cama de um hospital sem uma visita um pai, uma mãe, apenas o abandono e o chorar dos meus pecados.

Pensei em morrer, mas não tinha coragem nem para me matar, sentia-me um covarde, uma espécie de homem.  Anos que se passaram vividos no escuro sem sorrir, veias que nos braços secaram e a prisão que me torturou.

Olhava para rua e via os apaixonados, namorados,  filhos, apaixonados uns pelas vidas simples, outros por coisas que ninguém liga, e eu nada …já nada sentia, a minha paixão era uma seringa de cocaína e heroína acompanhada por um cigarro e um olhar vazio.

Comia do lixo…sim entrava mesmo nos contentores  do lixo para pôr algo na boca, só para ter força para mais um dia de furtos para a dose a seguir.

Paixão….como invejava a paixão…
Pedrado, a viajar na minha moca, ficava a ver o que um dia também desejei…
Como sair daqui? Terei que morrer? Todos já me abandonaram, os meus pais já não existem e outros nem me ver querem…Quem tenho eu?
Perguntei ao CÉU …GRITEI AO CÉU…
Quem sou eu?
Um dia…
De joelhos me prostrei e senti…”-Tens-te a ti…Miguel…tens-te a ti…o Actor principal do palco da VIDA…
Depois de perder tudo, já com Sida, cirrose no fígado, meio morto, chorei e olhei para o Céu …“- Jesus…Jesus…faz-me acreditar…preciso acreditar preciso tanto meu Senhor…”

-Olá eu sou o Miguel fui toxicodependente 21 anos e estou em recuperação á 4 anos, tenho um filho lindo, a minha casa, o meu trabalho, e AMO A VIDA..estou apaixonado pela minha VIDA, tudo é possível…encontra a paixão. Só tu sabes onde a podes encontrar no teu coração.


http://www.casasdesantiago.com/

Uma atitude, uma esperança, uma resposta... 

3 comentários:

  1. «Uns até escarnam assim….”- Estes drogados acham que são sempre uns incompreendidos”…o facto é que os tais “drogados” não entendem o mundo, e a maldade do mundo é assustadora, não a queremos ver, ou enfrentar e ou fugimos da pior forma ou quando nos juntamos em desespero a esta é uma condenação uma entrega por desistência.»

    Isto tocou-me, muito.
    Beijos e força :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu comentário, desejo-lhe muitas felicidades também,

      Eliminar
  2. Miguel, tudo aquilo que falas aqui é-me profundamente familiar, padecemos as mesmas coisas, passamos as mesmas situações 20 anos a comprar morte grátis e agora vivemos de certa forma com as consequências de tamanha loucura. Também tive que clamar ao ceu, foi lá que encontrei o meu refugio depois de tantos anos, não digo abandonado, porque no fundo fui eu quem abandonou, mas sim passei mal, hoje as lições do antes servem-me para não voltar atrás, casado pai de dois filhos, quando volto ao meu bairro (curraleira, ou o que resta dela), ninguém acredita no que vê, já la vão uns quantos anos, e a segurança de que não quero olhar para trás e converter-me numa estátua de sal. Força e coragem...

    ResponderEliminar

Olá às vezes posso passar alguns dias sem vir ver o teu comentário mas venho frequeentemente, por isso assim que puder dou um feed back, tem coragem e bom animo...tu é capaz