PARA VER OS VIDEOS PARA A MUSICA

Global Debate Guerras das Drogas

Loading...

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Metadona na Tanzânia

Metadona na Tanzânia





Com a ajuda do governo 
americano, o programa de 
manutenção com metadona na 
primeira sub-
saariana, abriu  em um 
hospital de Dar es Salaam, 
 na Tanzânia.

O consumo de heroina ...
 Tem crescido recentemente em cidades portuárias na Tanzânia , estas usadas ​​para embarque e desembarque de heroína, geralmente a partir de Afeganistão para a Europa. Os Correios de droga podem ser pagos em heroína, criando desta forma um novo grupo de viciados.
A Tanzânia tem agora cerca de 25.000 usuários de drogas injetáveis, 40 por cento das quais infectadas com HIV , de acordo com o Pangaea Global AIDS Foundation , um grupo de São Francisco USA está  a aconselhar o governo da Tanzânia sobre o programa.
A partilha de seringas espalha o HIV e hepatite . 

No ano passado, um pesquisador americano informou ter encontrado tanzanianos praticando " flashblood", em que um dependente injeta-se com o sangue de outro  na esperança de compartilhar a “pedrada”.
Na África, o medo do desconhecido, muitas vezes leva a acusações de feitiçaria, e se o consumo de heroína é desconhecido, a metadona é ainda mais.  A metadona é ainda mais viciante que a heroína, embora seja administrado em doses orais destinadas a ser  em doses demasiado pequenas para produzir qualquer “pedrada“. 

Ao anunciar a abertura do programa no Hospital Muhimbili , a embaixada americana na Tanzânia, disse que estava "plenamente consciente desafios complicados, enquanto os serviços estão sendo estabelecidos."

 Dr. Douglas Bruce é um professor assistente de medicina interna (HIV ) na Yale School of Medicine, e que recentemente ajudou a abrir ao público o primeiro programa de manutenção com metadona nacional disponível que permite que todos os viciados em heroína possam receber ajuda, não importa se tem capacidade de pagar o químico . O governo da Tanzânia é completamente a favor  do projeto e toda a gente tem grandes esperanças de que o número de pessoas contrair hepatite C, hepatite B e HIV poderá ter como resultado muito menos infetados.
                                                                              
Outros países africanos também fizeram programas de metadona disponível, mas apenas aqueles que podem pagar as caros, clínicas de metadona privadas podem receber o tratamento de que necessitam.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá às vezes posso passar alguns dias sem vir ver o teu comentário mas venho frequeentemente, por isso assim que puder dou um feed back, tem coragem e bom animo...tu é capaz