Metadona no combate à Leucemia


EFEITOS FÍSICOS DE METADONA

 Os efeitos colaterais da metadona podem incluir sedação ( efeito sedativo), prisão de ventre, confusão, boca seca, coceira, náuseas, sudorese (ou seja transpiração excessiva), rubor e respiração lenta.

Rubor- É a vermelhidão da pele que pode ocorrer em qualquer área do corpo, em qualquer extensão, em virtude da dilatação dos vasos sanguíneos e consequentemente, maior fluxo de sangue naquela área.


Sudorese- Transpiração excessiva ou sudorese


Para quem sofre com transpiração excessiva, hiperhidrose ou sudorese, o tormento aumenta especialmente no verão. Na verdade, todos nós temos uma sudorese fisiológica, que é normal. É a forma do corpo regular a temperatura através da perda de água e sais minerais por transpiração. Acontece quando se realiza exercícios físicos ou se fica exposto ao sol, por exemplo.
O problema ocorre quando o suor excessivo ocasiona desconforto e constrangimento, dificulta as atividades do dia-a-dia e interfere no trabalho, no lazer e nas atividades sociais. E esse caso se classifica como hiperhidrose. Se essa sudorese exagerada trouxer também odor fétido, chama-se Bromidrose. A bromidrose é causada pela decomposição do suor, por bactérias e fungos e contribui para o aparecimento de doenças de pele.
Sintomas
O início dos sintomas pode ocorrer na infância, na adolescência ou somente na idade adulta, por razões desconhecidas. Eventualmente há histórico familiar.
Os fatores desencadeantes da sudorese excessiva são o aumento da temperatura ambiente, o exercício, a febre, a ansiedade e a ingestão de comidas condimentadas.
Geralmente, há melhora dos sintomas durante o sono.
 O suor pode ser quente ou frio, mas a sudorese é constante.
Pode afetar todo o corpo ou ser confinada à região palmar, plantar, axilar, infra-mamária, inguinal ou cranio-facial, desencadeando o desconforto de ficar com as roupas constantemente molhadas e manchadas, aspecto de má higiene e impressão de descontrole emocional.
Causas
As causas podem ser as mais diversas, desde obesidade, menopausa, uso de drogas antidepressivas, alterações endócrinas e neurológicas com disfunção do sistemas nervoso e até mesmo desconhecidas em alguns casos. Quando o quadro de hiperidrose é grave, ocorre gotejamento espontâneo na região afetada. Nos casos mais graves, a pele pode ficar macerada ou mesmo fissurada.

No caso de quem toma metadona, quando acabares o tratamento voltas ao normal, é tão simples quanto isto

                                                     



Anti-Câncro





 
A metadona tem propriedades que combate leucemia, de acordo com achados de pesquisadores alemães publicados na edição de agosto de 2008 "Cancer Research". 

Neste estudo, a metadona destruído células anormais e inibiu a proliferação de cancro no sangue, de maneira que não prejudiquem as células normais. 




O tratamento foi considerado eficaz contra alguns tipos de leucemia, que são resistentes à quimioterapia e à radiação.


Em  Instituto de Medicina Legal da Universidade de Ulm, Ulm, Alemanha. claudia.friesen @ uni-ulm.de


A terapêutica de opióides droga metadona (d, l-metadona cloridrato) é a medicação de manutenção mais comumente utilizado para o tratamento da dependência de opióides ambulatório. No nosso estudo, verificou-se que a metadona é também um potente indutor de morte celular em células de leucemia e esclarecido o mecanismo desconhecido de metadona induzida morte celular em células de leucemia.
 A Metadona inibiu a proliferação de células de leucemia e de morte celular induzida por meio de indução de apoptose e vias de apoptose ativados através da ativação de caspase-9 e caspase-3, a regulação negativa da expressão de Bcl-x (L) e X-linked cromossoma inibidor de apoptose, e clivagem polimerase de poli (ADP-ribose). Além disso, a morte celular induzida por metadona, não só em células de leucemia de drogas anticancerígenas sensíveis e apoptose sensíveis, mas também em células de leucemia resistente a doxorrubicina, multi-resistente, e resistente à apoptose, que as drogas anti-cancro geralmente usados ​​em terapias convencionais de leucemias não conseguiram matar. 

Dependendo activação de caspases, a metadona supera resistência à doxorubicina, a resistência a múltiplas drogas, e resistência a apoptose em células de leucemia, através da activação das mitocôndrias. Em contraste com as células de leucemia, nonleukemic linfócitos do sangue periférico sobreviveram após o tratamento com metadona. Estes resultados mostram que a metadona mata as células de leucemia e das pausas quimiorresistência e resistência à apoptose.


Os resultados sugerem que a metadona é uma abordagem terapêutica promissora não só para os pacientes com dependência de opiáceos, mas também para pacientes com leucemias e fornecem a base para novas estratégias que utilizam a metadona como droga adicional anti cancro no tratamento da leucemia, especialmente, quando as terapias convencionais são menos eficazes.


Referências






ANALGÉSICO:
A metadona é um fármaco importante no tratamento da dor crónica porque dura mais tempo, é mais lenta para a construção de uma tolerância, é eficaz em doses baixas e pode ser menos sedativa do que outros medicamentos narcóticos

Um artigo de 2005, em relação ao tratamento da dor crónica publicada no "American Family Physician" afirma que a metadona pode precisar de ser administrada duas ou três vezes por dia, porque o seu efeito analgésico desgasta em 3 a 6 horas.
 Com a administração repetida e a acumulação do fármaco no corpo, o controlo da dor se estende para 8 a 12 horas.
 A complexidade da prescrição de metadona é o assunto de Alerta de Saúde Pública emitido pela Federal Drug Administration em 2006.
Read more: http://www.livestrong.com/article/219807-physical-effects-of-methadone/#ixzz29VBatELU

 

Combate à toxicodepêndencia


Viciados em heroína e noutros narcóticos opiáceos podem  estabilizar com metadona, com vantagens sobre o uso de drogas ilícitas.

 A metadona é administrada por via oral, eliminando pelo sangue de transmissão da doença e atividade criminosa associada com o uso de drogas . 

A metadona pode reduzir a ansiedade e bloquear os efeitos eufóricos de outros narcóticos e é menos susceptível de produzir um "pedrada", mesmo quando injetada. 

Participantes em programas de manutenção podem beneficiar da terapia, manter um emprego e ser pais responsáveis. 

Sintomas de abstinência de metadona são semelhantes aos de outros narcóticos, mas os seus efeitos são mais tardios.

Uma dosagem única diária é adequado para a manutenção vício.

 A duração do tratamento é geralmente colocada em aberto ao paciente, no entanto, um estudo sueco dos primeiros 38 pacientes com metadona em manutenção em Estocolmo mostraram que aqueles que fizeram o desmame da metadona, seja com ou sem sucesso, tiveram uma melhor qualidade de vida 15 anos mais tarde em comparação com indivíduos que nunca tentaram desmame. 

Os resultados foram publicados em julho de 2010 "Jornal nórdico de Psiquiatria".

                                         Anti-tússico


A metadona possui efeitos semelhantes aos da codeína e dextrometorfano visto que se trata de um tratamento eficaz para a tosse seca que resulta em dor ou insónia. 

Os Centros de Controle de Doenças e Prevenção indica que a metadona foi comercializado como um supressor da tosse muito antes de ser aprovada para o tratamento de manutenção narcótico. 

Aqueles com doença pulmonar obstrutiva crônica e câncer de pulmão são mais susceptíveis de beneficiar dos efeitos anti-antitússicos de metadona.

           







Comentários

Mensagens populares deste blogue

METADONA EFEITOS COLATERAIS

Metadona e o excesso de peso

Coisas da metadona